Olá meus queridos amigos e amigas, tudo bem com vocês?

Então, faz um bom tempo que não postava mais nada pela internet, devido a compromissos com as minhas palestras, mas estava para escrever esse artigo há alguns dias.

Dia 18 de Outubro de 2018, no programa Motorrad Experiencie NO AR que estava participando em uma mesa redonda virtual, estávamos entrevistando um amigo do Acre, Cassiano Marques especialista em moto turismo pela América do Sul e idealizador da Rota Turística Internacional Pantanal-Amazônia-Andes-Pacífico, quando ele durante a entrevista, falou das curvas peruanas e bolivianas, onde recordamos algumas situações que as vezes é necessário, para que evites grandes acidentes,  fazer a curva ao inverso, mesmo parecendo ser um absurdo, mas pode ser a tua única saída em duas certas situações que acontecem em uma viagem de aventura em duas rodas.Yungas

A primeira: curvas em cordilheiras ou montanhas, onde transitam veículos grandes, como caminhões e ônibus, que, para realizarem as curvas fechadas em uma única vez, são obrigados a abrirem bem desde a sua tomada.

Lembrei de uma viagem vinda dos EUA ao Brasil, onde havia garotos, que ficavam nas piores curvas, orientando os veículos que vinham em sentido contrário, fazer a curva pelo lado inverso, ou fazendo parar, caso o tempo e a distância já não permitiam fazer essa manobra tão inesperada, segura.

De agradecimento, os motoristas jogavam moedas aos meninos, agradecendo a ajuda.

Já a segunda, nas estreitas estradas de montanhas em grande altitude sem nenhuma barreira de proteção nas encostas e em locais onde os veículos grandes fazem as curvas perigosas.

Teiga_Curvas_002

Regra 1: Ficar sempre pelo lado da parede quando tiver que parar para que esses veículos cruzem pela motocicleta.

Regra 2: Seguir uma importante regra que sempre digo “Veja e Seja Visto”. Utilize a buzina para alertar os veículos em sentido contrário. A emissão sonora sempre será a melhor opção para que vejam que tu estás ali.

Sabemos que em uma pilotagem preventiva o correto é parar e esperar que o outro veículo faça a curva, respeitando a preferencial, mas as vezes, por uma desatenção ou até mesmo uma infelicidade em chegar ao mesmo tempo e tenha que tomar essa atitude, essa decisão pode te salvar.

Teiga_Curvas_001Um forte abraço e se puderem ler o meu livro projeto, Motociclismo: Planejamento e Execução em Viagens de Aventura, poderão

encontrar alguma dica que pode ser útil na sua primeira viagem ou a sua próxima viagem de aventura.

Fica a Dica.

Forte Abraço

Teiga Júnior
Gravataí – RS, 09 de dezembro de 2018