Olá leitores e seguidores do Motorrad Experience e amantes do estilo de vida sobre duas rodas.

Nem sempre será possível conciliar o período de férias (ou qualquer folga no trabalho ou estudos) com a época certa para se visitar determinado local, para não dizer que isso dificilmente acontece. Adaptação é necessária, mas se houver possibilidade, prefira planejar sua viagem para que ela se encaixe aos critérios que você tenha estabelecido como prioritários.

O fator climático é certamente um dos principais a ser considerado, entretanto, alguns outros fatores também podem ser decisivos numa viagem terrestre, especialmente de moto.

Clima por região

Apesar da maior parte da América do Sul estar situada no hemisfério sul, ou seja, abaixo da linha do Equador, o clima da região sofre influência de diversos fatores é muito diferente entre os países. Não há como generalizar na análise.

Durante os meses de verão (Dezembro a Março) é comum a ocorrência de tempestades em regiões como Sul e Sudeste do Brasil, Uruguai, Paraguai e nordeste da Argentina e que podem, pela intensidade e localização, interromper temporariamente uma viagem. Nesta época do ano há o predomínio de clima quente e úmido.

Na região do altiplano (Bolívia e Peru), o período de chuvas também coincide com o verão e os meses mais secos do ano são Julho e Agosto. Se nesta região o verão representa temperaturas pouco acima do congelamento durante a noite, no inverno, embora seja a época seca, elas caem brutalmente, passando facilmente dos -15oC.

Na semidesértica Patagônia a intensidade constante dos ventos empurra toda a umidade para a região dos lagos, principalmente chilenos, até próximo à cidade de Santiago. Há que se notar a influência direta do clima antártico nesta região. Já ao norte de Santiago começa a prevalecer o deserto do Atacama, influenciado principalmente pelas frias correntes do Pacífico.

Para as regiões ao norte, próximas da Floresta Amazônica, a temperatura pouco varia e o predomínio de chuva se estende praticamente pelo ano inteiro. Localidades acima do Equador, como Venezuela, Suriname e Guianas, o inverno não existe e as estações são praticamente demarcadas pelo regime de chuvas, com períodos de maior ou menor intensidade.

Além de tudo isso, devemos considerar a altitude como fator que influencia diretamente na temperatura. Países como Equador e Colômbia em que cidades costeiras apresentam temperaturas altas durante todo o ano, possuem regiões de montanha bastante frias, até com neve, por conta dos Andes.

Demais fatores a se considerar

Além da questão climática, outros fatores podem influenciar e devem ser considerados num planejamento de viagem:

  • Época de férias escolares: o que significa grande quantidade de pessoas viajando e preços mais elevados;
  • Questões culturais, religiosas ou festividades regionais: que tanto podem ser um atrativo, como também situações a serem evitadas;
  • Questões políticas ou instabilidade econômica: o país a ser visitado pode estar atravessando um período conturbado (o que vem ocorrendo com a Venezuela nos últimos anos, por exemplo);
  • Altitude: certas pessoas são mais suscetíveis que outras ao mal da montanha (conhecido como soroche nos países hispânicos). Desta forma, acima dos 2.600 m.s.n.m. é recomendável algum tipo de aclimatação;
  • Condições das estradas em relação à períodos de seca ou chuvas (se a ideia for se aventurar por regiões remotas).

Cordilheira dos Andes

Por conta da altitude, a Cordilheira dos Andes reúne condições climáticas específicas e requer pesquisa e planejamento para as travessias. Lembrando que isso deverá ser feito sempre nas primeiras horas do dia.

Muitas delas, como no caso dos “Pasos Fronterizos” entre a Argentina e Chile, são fechadas durante o inverno por causa do clima severo e da neve. Além do risco de acidentes, pelo congelamento do piso, é comum viajantes serem impedidos de atravessar pelas autoridades locais. E mesmo no verão, podem ocorrer situações de bloqueios por conta do clima de montanha.

Ferramentas de pesquisa

Hoje encontramos uma boa oferta de ferramentas, incluindo sites e aplicativos de celular, disponíveis para nos auxiliar no planejamento e acompanhamento do clima em qualquer região do globo. Destacamos o seguinte:

Roger Richter
Fotos: Olavo Almeida