Como comprar e usar o capacete correto – por Teiga Júnior

Assistindo alguns vídeos onde situações de quedas faziam os capacetes voar da cabeça dos motociclistas, vi que esse tema é bem pertinente em comentar, numa sequencia que irei posteriormente falar. Os acessórios.

Começando por esse tópico, o capacete é o primeiro a ser comentado, já que ele é a principal proteção do motociclista e não se deve deixar de investir em um equipamento tão essencial.

Muitas mortes ou sequelas podem ser evitadas.

É o nosso para-choque e há algumas dicas que podemos deixar por aqui na hora de você comprar.

Há algumas situações que realmente ocorrem e que poderemos prevenir tais como: o modelo ideal do capacete, a ventilação, o forro, a fixação da fivela correta, o não comprar o capacete de baixa qualidade, não usar o tamanho errado para a sua cabeça, o uso de câmeras ou bases de fixação ou até mesmo os tópicos contraditórios como o uso de capacetes articulados ou de coquinho que podem diminuir e muito a sua segurança no caso de acidente ou queda.

Saber escolher o modelo ideal é fundamental, pois dependendo do que você vai usar há modelos específicos para isso, cito como exemplo os modelos para trilhas onde não há viseira, pois se usa com óculos, capacetes com aba frontal para uso em off-road e os sem abas onde se usa mais para motos onde o deslocamento do ar não atrapalhará na vibração do capacete.

Outra questão sobre o modelo ideal é sobre o biótipo de sua cabeça. Muitos fabricantes, na sua grande maioria mesmo, têm como modelo para o formato da cabeça, de europeus, americanos, asiáticos que possuem a formação dos ossos da cabeça diferentes dos brasileiros e muitas das vezes quando vamos avaliar o capacete, não ficam totalmente confortáveis para você, então a dica é avaliar os modelos e comprar o mais ideal para você.

Não esqueça a certificação e selo do INMETRO, onde comprovam que foram testados.

A ventilação é outro ponto fundamental para compra, pois ele deverá ser bem ventilado e se tiver válvulas de abertura nele para que possa fechar em momentos de chuva intensa e frio, melhor ainda serão.

O forro deverá ser muito confortável e de fácil remoção para lavar devido à sujeira e umidade que fica nele.

A fixação da fivela é também outro ponto fundamental para você avaliar. Fivelas transpassadas são as mais seguras e a pressão que devemos usar é a que depois de afivelada na sua cabeça, tenha um dedo pressionado de distância, não causando a sensação de estrangulamento. Ajuste essa folga adequadamente para a sua maior segurança.

Na hora da compra tamanho correto do capacete é primordial lembrar da seguinte regra:

Coloque-o e faça movimentos rotacionais na cabeça (como se fizesse o movimento de negação com a cabeça), se ele tiver alguma folga, com certeza não será o tamanho ideal.

Alguns comentam que ele tem que apertar a bochecha, mas nem sempre será essa regra, pois muitos capacetes são feitos para o biótipo de povos diferentes ao perfil do brasileiro como abordei anteriormente.

Alguns amigos citam que para ter a medida exata do capacete, coloque-o, e com a mão direita, empurre o capacete para frente segurando atrás, erga a viseira e a ponta do seu dedo indicador esquerdo terá que entrar entre sua testa e o capacete.

Nos capacetes articulados ou o híbridos, em que a parte do queixo pode ser deslocada para cima como também os coquinhos ou abertos que, apesar de ser mais agradável no verão, não oferece proteção ao queixo e no caso de um acidente, o maxilar do condutor está totalmente exposto e pode ser bem comprometido, saiba que há sim o maior risco e a meu ver, deve ser evitado na hora de comprar.

Capacete apertado não se anda longe, pois a dor na cabeça fará você parar muito rapidamente e sua viagem pode ser terrível e comprometer a sua atenção. Então não esqueça que andando, o couro cabeludo incha e também se expande dentro do capacete como também quando rodamos em altitudes e (ou) com frio, o uso da balaclava, também fará um maior volume dentro do capacete.

Não esquecer o uso de desodorante para o odor e desembaçante, devolvendo ou recuperando o brilho e a transparência à viseira.

Confira a viseira e o tipo de viseira que você quer usar, diferentemente de capacetes onde o uso de óculos de proteção deixa o piloto mais confortável para o uso de diferentes lentes capacetes com viseiras devem ser muito bem avaliadas na compra, principalmente no quesito, entrada facilidade de abertura, entrada de ar como também no tipo de lente.

Saber manusear a viseira é muito importante se você busca usar ela com outra transparência, tipo fumê já que ela não é indicada quando há uma diminuição de luminosidade, tipo amanhecer, entardecer, na noite ou até mesmo em neblina ou chuva, já que terás que fazer a troca rapidamente em condições de estrada que algumas vezes não sejam favoráveis.

Então meus amigos e amigas, procurem o capacete certo, muitos modelos e circunferências diferentes possuem. É só avaliar bem. A análise o custo-benefício nesse acessório sempre o beneficio será maior.

#teigadventureficadica

Abração