A Grande Estrada Alpina de Grossglockner na Áustria é um dos ícones do motociclismo na Europa. Construída em uma trilha usada desde do Império Romano para atravessar os Alpes de sul a norte, a estrada foi pavimentada e inaugurada em 1934. No ano seguinte, ocorreu ali a primeira corrida de carros e motocicletas. Desde então, inúmeros motociclistas são atraídos a cada ano para percorrer os cerca de 48 kms e 36 curvas a 2500 metros de altitude da rodovia B 107, que liga Heiligenblut (sul) a Bruck (norte) . O nome da rodovia foi retirado do Grossglockner, pico mais alto dos Alpes em território austríaco, com 3798 metros. Há um breve desvio na estrada que permite chegar até o sopé dessa montanha, onde se encontra também a geleira Pasterze. O tráfego é aberto aos turistas apenas entre maio e novembro, período que coincide com a temporada de motociclismo no velho continente.

A tradição dos encontros de motociclistas começou na Estrada Alpina Grossglockner desde sua inauguração nos anos 30, como mostra a foto acima.

A tradição dos encontros de motociclistas começou na Estrada Alpina Grossglockner desde sua inauguração nos anos 30, como mostra a foto acima.

Para quem for percorrer a estrada no sentido sul-norte, recomendo antes uma parada para almoço ou café no restaurante Iselbergerhof. O local é um ponto de encontro histórico de motociclistas. Há muitas fotos antigas, objetos e mesmo motos expostas. Quando paramos ali, havia vários motocilcistas, inclusive dois com motos dos anos 30 ou 40. Essas motos antigas são comuns na Grossglockner. Cruzamos com alguns que, para aumentar a diversão, se vestiam com roupas e óculos no estilo dos anos 30. Aqueles que vierem no norte, fica a dica para uma parada depois de percorrer os 48 km do trecho com pedágio.

O restaurante Iselsbergerhof é uma boa pedida para uma parada. Além das motos de todas a idades que chegam alí, há muitos objetos históricos expostos na parte interior.

O restaurante Iselsbergerhof é uma boa pedida para uma parada. Além das motos de todas a idades que chegam alí, há muitos objetos históricos expostos na parte interior.

Para manter a estrada, são cobrados 26 euros de cada motocicleta (carros de passeio pagam 36). A viagem de retorno não é cobrada se for realizada no mesmo dia. Em compensação, a qualidade do asfalto é impecável. No entanto, não existem guardrails na maioria das curvas. Um cálculo mal feito na entrada de uma curva pode levar direto aos desfiladeiros. Para orientar melhor os motociclistas e motoristas, são pintados círculos no asfalto que indicam o ângulo de curvatura (no vídeo sob o link abaixo é possível ver esses círculos em alguns pontos). O melhor mesmo é pilotar com muita prudência, até porque é a única forma de se poder curtir a estrada e a paisagem, que é magnífica.

Visão de um trecho da estrada Grossglockner, já na descida para Bruck no sentido sul-norte.

Visão de um trecho da estrada Grossglockner, já na descida para Bruck no sentido sul-norte.

Ao longo da rodovia, existem alguns vilarejos e vários hotéis e restaurantes. Próximo ao pico Grossglockner foi construído um estacionamento vertical para carros e um ponto de observação. Por elevador ou escada é possível descer até a geleira de Pasterze, cuja camada de gelo infelizmente vem desaparecendo nas últimas décadas por conta do aquecimento global. Há ainda restaurantes e lojas de souvernirs.  É preciso notar que a praça de pedágio fica fechada durante a noite. Assim, a última entrada deve ser feita até 19:30 entre setembro e novembro ou 21:30 entre maio e agosto.

Ponto de parada em frente ao Monte Grossglockner.

Ponto de parada em frente ao Monte Grossglockner.

Um lugar imperdível para quem deseja percorrer a Grossglockner é Biker’s Point. Chega-se ali por um desvio de poucos quilômetros em relação ao trajeto principal. Situado em um dos picos, a pavimentação é feita com pequenos paralelepípedos. O objetivo foi evitar o peso das máquinas tradicionais de asfaltamento. O trânsito de caminhões é proibido. Há um restaurante e uma plataforma de observação ém 360 graus. A vista é deslumbrante.

Chegada a Biker’s Point.

Chegada a Biker’s Point.

De Biker’s Point é possível se ter uma visão de 360º da estrada alpina

De Biker’s Point é possível se ter uma visão de 360º da estrada alpina

Restaurante sobre um penhasco. Um bom lugar para uma pausa.

Restaurante sobre um penhasco. Um bom lugar para uma pausa.

A Grossglockner é antes de tudo um local para celebrar a paixão pelo motocilcismo e pelas competições automobilísticas. Anualmente ainda ocorre uma corrida de carros antigos saindo de Salzburgo. É um lugar cheio de história e grande beleza natural. Àqueles que planejam algum tour pelo velho continente, vale a pena examinar com carinho essa opção. Para uma ideia mais completa do percurso, ver o vídeo no link abaixo.

Até a próxima!

Luis Antonio Balduino